Não. O nome não diz nada. Pelo contrário… sabe aqueles botecos, botecão mesmo, cheio de cerveja na mesa e testosterona no ar!?! Então…

Esse foi o nosso destino naquela quarta-feira. DESFRUT. E desfrutamos mesmo! Uma aventura sem igual. Certamente, o bar mais bizarro que nossas integrantes já visitaram. E, certamente, local nada adequado para as cinco donzelas em perigo que resolveram conhecer o estabelecimento. Sorte delas que contaram com os cavaleiros Lincoln Clarete e Hozielt Houston. Se não fosse por eles, talvez, não estaríamos aqui para contar a história. Exagero? Que nada!

Primeiro Brinde da Noite Bizarra

As donzelas em perigo

Chegamos e escutamos: “Está fechado”. Viramos as costas e, quando estávamos quase na porta, um senhor simpático nos alcançou e disse: “Vocês estão indo embora? Mas nós só fechamos 1h30 da manhã”. No meio da confusão, Patrícia estremece e recua. Sim! Ela terá de enfrentar o bar…

Famintas como sempre, as integrantes do De Bar em Bar passam a noite toda tentadas a fugir para uma lanchonete famosa que fica perto do local. Enquanto isso, o bravo e também faminto Hozielt (Hozi para os íntimos) saboreia o único aperitivo do local: o “bom” e velho frango engordurado da estufa.

O bravo Hozi foi o único a experimentar o frango da estufa

Hozi achou o frango temperado, o tempero era bem forte mesmo, carregadíssimo no açafrão. Ah, e durante a refeição, o garfo entorta! Tudo isso pela bagatela de R$ 1,50!!!

Enveredamos por uma conversa sobre “como comecei a falar palavrão”, possivelmente iniciada por mim.

Estávamos numa boa até que, de repente… Eis que surge… Ele! O senhor embriagado!

Ele veio sem qualquer aviso e fez uma pergunta boba sobre o time de futebol mais antigo do mundo. Nada interessada em futebol ou no ser embriagado, eu respondo qualquer coisa educadamente e volto ao papo da mesa.

Foi o bastante para este singelo senhor soltar: “mas você é uma ANTA!” AaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhHHHHHHH!!!

Sabe aquela cena em que o provocado quebra a garrafa na mesa e ameaça o provocador com o vidro nas mãos!?!? Pois é… Ela se passou em minha cabeça, ao menos, umas 10 vezes.

Instinto sanguinário

O amigo Lincoln, muito conciliador, tentou convencer o senhor embriagado de que eu não era uma anta e de que isso não era muito educado de se falar a uma pobre donzela. Foi aí que ouvimos o jargão da noite: “Lagartixa, sai da parede”!

Mas nem tudo foi uma aventura nonsense. O preço da cerveja foi bem pé-no-chão: R$ 4. E o banheiro, segundo a Bia, arrazou! Tem espelho, papel higiênico e é limpo!

Cliente assíduo, não vimos nenhum. Mas, como não poderia deixar de ser inédito, no bar Desfrut tivemos o ouvinte assíduo; Eduardo, que estava sentado na mesa ao lado a noite toda, não só escutou como até palpitou em alguns momentos.

No final das contas, tudo vira mais uma história para se contar. Só espero que esta não tenha reprise…

E olha só quem encontramos no final! Essa fofura tinha perdido a perna... E nós, a cabeça.

Anúncios